18 de dezembro de 2014

Alguém...

Hoje tive um encontro imediato. Alguém que não via há anos. Alguém que não esperava encontrar. Alguém que pertenceu ao passado. Alguém que teve um peso importante na minha vida. Alguém que neste momento já não me diz nada. Alguém que deixou de ser importante para mim. Alguém que preferia não ter encontrado.


17 de dezembro de 2014

Não é dia de Reis

Se no domingo foi dia de fazer a árvore de natal, hoje foi dia de a desmontar. Graças ao Juju, ela não fica de pé mais de 10 minutos. Terrível este gato.


15 de dezembro de 2014

Boas notícias

Finalmente consegui encontrar-me com o rapaz da outra empresa. A proposta que me fizeram há dois meses atrás mantêm-se. Será que vai mesmo para a frente?

14 de dezembro de 2014

Primeira árvore do Juju

Dia de montar a árvore e de deixar o Juju louco de todo...







13 de dezembro de 2014

Carro esgotado

Hoje foi o dia de ir ver o carro novo. Fomos ao stand da Mazda e recebi a triste notícia que o carro está esgotado em todo o país e Europa. O carro estava desde Fevereiro com uma grande promoção e evaporou-se. E o meu carro a dar as últimas... É só azares atrás de azares.

Isto é triste...

Vi este documentário e dá que pensar. Infelizmente neste momento não tenho condição física suficiente para embarcar numa dieta deste tipo mas quem sabe um dia... Gostava de poder!


12 de dezembro de 2014

Falta aos compromissos

Hoje tinha combinado encontrar-me com o rapaz da empresa que me quis contratar da outra vez mas ao ir para o local pressenti que ele ia faltar e reagendar para segunda. Assim que estacionei recebi uma mensagem a dizer que tinha surgido um imprevisto e que teríamos de reagendar para segunda. Que grande treta!

Livros #2

Avaliação:
Lista dos Meus Desejos - 3*

Em dois pequeninos dias li este livro de Grégoire Delacourt. Li em dois pequeninos dias porque este é também um livro muito pequenino. A moral da história é muito interessante e na minha opinião tinha tudo para ser um excelente livro. Ao longo da leitura vai havendo sempre um grande suspense e grandes reviravoltas mas houve várias coisas que me fizeram dar uma avaliação apenas de 3*. Primeiro o estilo de escrita não é bem o que eu admiro. Diálogos sem travessões ou aspas, tudo muito seguido e frases muito curtas mas se a história me preenchesse esse aspecto acabava por ser ultrapassado. No entanto, o final não me surpreendeu. Acho que é um livro interessante de uma maneira geral, pela moral mas apenas e só.


11 de dezembro de 2014

Haverá carro novo?

O meu carro já tem uma certa idade mas ultimamente tem-me dado muitas dores de cabeça e tem-me feito uma grande limpeza à carteira. Num ano, sem contar aqueles gastos normais com imposto de selo e seguros, gastei cerca de 1000€. Para piorar, todas as semanas descubro um problema novo com que me preocupar. A semana passada gastei 400€ num alternador e ontem quando não consegui chegar a casa com um problema na minha embraiagem. Ela nunca foi muito boa mas agora há vezes que não me deixa mesmo engatar as mudanças. Ao fim de alguma resistência, já me convenci que terei mesmo de investir num carrito como deve ser.
Já andei a investigar e este sábado de manhã vou ver de um Mazda 2 novo ao stand. Vamos ver o que me parece...


10 de dezembro de 2014

Segunda oportunidade

Ontem enchi-me de coragem e entrei em contacto com o rapaz que me fez a oferta de trabalho à cerca de dois meses. Na altura tinha aceite a proposta e apresentei a minha demissão na empresa em que estou a trabalhar, contudo e ao fim de muito pressão, acabei por ceder e voltar com a minha palavra atrás, acreditando que as coisas iam melhorar. Que a ‘gaja’ que não mexe uma palha ia ser despedida e que com isso iriam surgir mais hipóteses de trabalho, o que é certo é que a tal pessoa não foi despedida e ainda por cima, contrataram mais uma pessoa com a mesmo função que a minha. Tentaram-me iludir com uns trabalhitos das treta. Uns nem seguiram em frente e outros seguiram por serem odiados por todos mas qualquer pessoa com a quarta classe os fazia. Enfim, basicamente nada melhor, pelo contrário, cada vez me sinto mais frustrada por ter rejeitado uma proposta bem acima da média. Por um lado sinto-me frustrada mas consciência de que dei o meu melhor e dei várias oportunidades à empresa mas não posso esperar mais. Sinto-me cansada, ao fim de quase um ano nada andar para a frente. Esta empresa não tem capacidade para formar pessoas, não tem projectos para oferecer que permitam aprender do zero, não há também recursos suficientes para que isso aconteça e eu cansei-me!
Enchi-me de coragem entrei em contacto com o rapaz… No início ele pareceu-me bastante frio e confessou que e passo a citar “foi difícil de digerir” a minha decisão porque tudo indicava que eu ia aceitar. À medida que fomos conversando, e eu fui encaminhado a conversa para esse caminho, ele perguntou-me se “gostavas de reconsiderar uma ida até Angola? Estava a pensar considerar a ida do teu namorado também, se ele tivesse interessado claro.” A ida do meu namorado não sei se está em cima da mesa mas tudo depende da proposta que seja apresentada.
Combinei encontrar-me com ele na sexta-feira de manhã, antes de ir trabalhar para que ele me apresente o projecto que tem em mente. Ainda não contei a ninguém… Nem família, nem namorado, nem a amigos. Ao namorado tentei contar à hora de almoço mas ele não me respondeu a tempo e não nos conseguimos encontrar. Não lhe quero contar por mensagem nem por telefone. Ele percebe a frustração que estou a sentir e quero contar-lhe pessoalmente. Porque apesar disto poder não dar em nada, ter uma segunda oportunidade e saber que aquela porta não está fechada, é uma boa notícia. À minha mãe tenho tentado contar mas ainda não consegui. Sei que a minha mãe aceitar qualquer das minhas decisões e que quer o melhor para mim mas como mãe, sei que tem receio da minha viagem para Angola. Uma coisa é certa… Não vou cometer o mesmo erro duas vezes. Se o projecto me interessar e se a proposta financeiro for semelhante à anterior (já sei que eles vão baixar a fasquia em cerca de 200€ mensais provavelmente), mas ainda assim eu aceito. Não posso cometer o mesmo erro, já sei que por mais que queira não há a mínima hipótese de crescimento aqui dentro.
Assim que tiver mais novidades partilho convosco.



7 de dezembro de 2014

Fim de semana em Abrantes

Este fim de semana prolongado foi passado em Abrantes. Era suposto ser de descanso mas de descanso também teve pouco. Os meus avós estavam muito speedados e com a prima deles lá ainda se tornou maior a confusão. Para ajudar à festa, estava um frio de rachar!







6 de dezembro de 2014

Livros #1

Avaliação:
As Cinquenta Sombras de Grey - 4*
As Cinquenta Sombras Mais Escuras - 5*
As Cinquenta Sombras Livre - 4*

Este fim de semana acabei de ler a trilogia da E. L. James. Os primeiros sete capítulos do primeiro volume foram difíceis de ler. Ponderei até a hipótese de parar de ler o livro mas depois enchi-me de força e continuei para ver até onde aquilo ia parar. No início da história até me identifiquei com a Anastasia (a personagem principal), pela situação de amor/ódio que ela estava a viver mas à medida que a história foi decorrendo consegui distanciar-me. A partir de uma certa altura comecei a ganhar bastante interesses no enredo e o primeiro volume acaba em total suspense, o que me obrigou a ir comprar o segundo volume nesse mesmo dia.
O segundo volume foi para mim, o melhor. A história decorreu de forma rápida e prendeu-me o interesse ao longo das cerca de 600 páginas.
O terceiro volume foi aquele que demorei mais a ler (quatro dias). Houve alturas em que senti que a história estava a enrolar  mas de repente começou tudo a correr demasiado depressa o que me agarrou novamente ao livro.
De uma maneira geral gostei muito desta trilogia. Em oito dias li cerca de 1800 páginas, por isso como podem imaginar a história prendeu-me o interesse do início do primeiro livro ao fim do terceiro. Quando a E. L. James publicar o seu novo romance, vou ter muita curiosidade em lê-lo.


5 de dezembro de 2014

Dia de férias?

Hoje tirei o dia de férias mas de férias teve pouco. De manhã fui ao dentista para um check up e fiquei a saber que ainda preciso de ir lá mais duas ou três vezes. Do dentista segui para a expopneu onde fui alinhar a direcção do meu carro que tenho de ir com ele no fim do mês à inspecção. Da expopneu segui para outra oficina trocar uma lâmpada que estava fundida e soube que preciso de lá voltar para trocar uma peça qualquer. Fui abastecer o carro. Fui ao continente comprar umas coisas importantes para os dentes e passei por uma pastelaria para comprar um bolo de aniversário porque o meu pai faz anos hoje. Nisto já eram 18 horas e eu passei o meu precioso dia de férias a andar para trás e para a frente a resolver assuntos pendentes. Gastei cerca de 150€ e foi muito mais cansativo do que se estivesse a trabalhar. Ao fim do dia ainda fui jantar fora com os meus pais e irmã para festejar o aniversário do meu pai.
Conclusão... Não se pode estar de férias, gasta-se um dinheirão e são dias ainda mais cansativos.


4 de dezembro de 2014

Tu és muita bom!!

Ontem o rapaz que se passou dos carretos comigo, hoje veio pedir desculpa mas com elas surgiram uma série de comentários que eu preferia não saber. Basicamente disse mal de todas as pessoas de quem eu gosto e com quem me dou bem no trabalho... Do meu 'tutor' disse que não tinha nada a aprender com ele, que ele só se preocupa comigo por ser meu chefe e por ser essa a sua obrigação, que ele pouco ou nada sabe do software com que trabalhamos e que estas eram apenas as opiniões dele a nível profissional porque a nível pessoal... Dos outros colegas, "sim, esses colegas" disse que eles eram bons era a passar os temas complicados para cima dele, que não sabem o lugar deles, que não são chefes dele para o mandarem trabalhar e que talvez o que lhes faça falta é trabalharem um pouco mais como ele que tem de fazer coisas aos fins de semana. Estes comentários caíram-me tão mal que nessa noite até tive pesadelos. Sonhei que havia uma votação para despedir uma pessoa e eu era a mais votada. É verdade que isto foi um sonho mas se isso acontecesse na realidade, era exactamente eu que era posta a andar...





3 de dezembro de 2014

A fritar a pipoca

Há uns dias recebi um desafio no trabalho, que desafio não tem nada, que consiste em gerir as situações que temos pendentes para resolver dos nossos clientes. É uma seca e nada desafiante. Qualquer pessoa com a quarta classe o fazia mas pronto, começo-me a habituar a este tipo de tarefas, não que concorde mas para não ser tão penoso tenho feito um esforço para aceitar esta situação provisória (espero eu). Hoje que fiz um bocadinho mais de pressão para se despacharem com o trabalho, vivi, na primeira pessoa, o stress das pessoas a descarregar em cima de mim… Hello… Eu só estou a relembrar… Não sou eu o inimigo… Parem de fritar a pipoca!


2 de dezembro de 2014

Um mal nunca vem só

Ontem tive de ficar em casa a trabalhar. De manhã fui deixar o carro à oficina e no fim do dia deixei lá cerca de 400€. E mais uma vez concluo que dei cabo da minha vida ao ter recusado aquela proposta de trabalho! Hoje já estaria em Angola a ganhar do bom e do belo, daqui a três semanas estava cá novamente, em Janeiro regressava e em Fevereiro já andava por terras lusas. Não consigo parar de me arrepender!
Estou a sentir que progressivamente estou a ir abaixo novamente e não queria nada que isso acontecesse...

1 de dezembro de 2014

Hello December

E por fim Dezembro chegou... Não sei se hei-de ficar contente se não...


5 de novembro de 2014

Se ganhasse o euromilhões

Se ganhasse o euromilhões…
Eu não costumo jogo nem euromilhoes, nem raspadinhas nem nada do género. As poucas vezes que o fiz não ganhei nada e parece-me sempre que estou a deitar dinheiro para o lixo. Verdade que muitas vezes se compram coisas desnecessárias e sem retorno mas esse tipo de jogos ainda me faz mais confusão.
Como não jogo, também não costumo sonhar com o que faria se o ganhasse. No entanto e sabendo à partida que os 190 milhões de euros saíram a um português, perdi algum tempo a pensar no assunto. Mary, se tu jogasses e se te saísse 190 milhoes, verdade de parte iam para o Estado mas isso encarava como uma caridade, o que farias com esses dinheiro todo? E aqui ficam as minhas reflexões:
A curto prazo, pouca coisa iria mudar na minha vida. Para já, pelo menos não deixava de trabalhar. Com 24 anos não me podia dar ao luxo de estagnar e não aprender a nível profissional. Outro aspecto importante é que as minhas decisões seriam partilhadas com o namorado.

A curto prazo:

  • Comprava um carrinho - porque o meu Opel corsa tem-me dado muito jeitinho mas já é de 2000 e muita coisa já não é perfeita. Todos os dias encontro qualquer coisa que me faz pedir com muito carinho que ele aguente mais uns bons aninhos. Atenção, o carro não está a cair de podre. Para mim agora está muito bom mas se tivesse aquele dinheiro todo comprava um carro novo. Provavelmente comprava um Nissan Qashqai porque para as longas e carregadas viagens que faço iam dar um jeitão. A questão que se impõe é… O que é que fazia ao meu velhote. Não o queria deixar morrer e conheço muita gente que um carrinho como o meu é uma necessidade. Ia oferecer à minha amiga P. que está a começar a conduzir agora e era o ideal para começar.
  • Comprava um telemóvel que o meu coitadinho, tem a morte anunciada. Nos últimos dias tem sido uma guerra para que ele carregue.
  • Comprava um apartamento para ir viver com o namorado na zona de Oeiras, visto que neste momento estamos os dois a trabalhar no concelho e já decidimos que a nossa primeira casa há-de ser por estas bandas.
  • Pagava a casa dos meus pais e dava-lhes parte do dinheiro para que se pudessem reformar e ter uma velhice descansada e com uma boa qualidade de vida.
  • Pagava o curso à minha amiga C. porque nos últimos anos ela tem tido algumas dificuldades e era uma grande passo para a vida dela andar para a frente.
  • Investia na minha formação e ia tirar um bom curso de inglês para posteriormente tirar uma pós-graduação e o mestrado que pretendo.
A médio/longo prazo:

No fundo poderia fazer tudo o que quisesse mas com certeza que ia viajar muito, ter uma boa vivenda na Ericeira, investir muito na minha formação para poder vir a dar aulas a nível universitário, abrir um hostel com o namorado porque é um grande sonho dele. Daí para a frente não consigo planear mais. Só o facto de não andar preocupada com o dinheiro que tinha no banco para mim já era um descanso mas isto tudo não passam de sonhos…

4 de novembro de 2014

Hoje não me mexo!

Ontem fui à primeira aula no ginásio. Correu tudo bem mas estou toda partida. Escolhi a pior aula. O meu ginásio é o Holmes Place e os nomes das aulas são todos diferentes. Fui à aula de Total Condicionamento de intensidade máxima. Tendo em conta que não faço exercício há seis anos e que o exercício que fazia era nas aulas de educação física, esta aula foi mesmo um rombo para os meus músculos. Aquela é essencialmente uma aula de localizada pura. Daquelas aulas que até os pêlos dos braços pingam de tanto transpirar (e eu até nem sou pessoa de transpirar). Houve muitos exercícios que não consegui fazer correctamente. O instrutor teve de adaptar alguns dos exercícios para eu os conseguir fazer. Ok, foi um bocadinho vergonha tendo em conta que devia ser a mais nova numa sala de cerca de cinquenta pessoas mas o que importa é que aguentei a aula até ao fim mesmo que tenha aldrabado a maior parte do tempo. Hoje não me mexo!

21 de outubro de 2014

Decisão tomada... Olhar em frente!

Há cerca de duas semanas recebi um contacto via LinkedIn de uma empresa IT que procurava uma pessoa na minha área. Propuseram-me uma entrevista para apresentar o projecto e tendo em conta que a situação da minha empresa não é das melhores achei que não devia fechar as portas à partida e aceitar a entrevista. Fui lá na sexta-feira (dia 10) e apresentaram-me a empresa e o projecto que me queriam inserir. Pareceu-me tudo bem mas eu também fui à entrevista naquela de ver o que vão dizer. Na segunda-feira (dia 13) ligaram-me a pedir para me deslocar às instalações deles no dia seguinte porque queriam-me apresentar ao cliente e fazer-me uma proposta. Eu lá fui... Directamente da Ericeira onde estava de férias para conhecer o cliente com o qual fiquei com uma primeira impressão não muito boa e receber uma proposta onde me ofereceram cerca de mais 400€ de ordenado líquido do que estou a receber agora. O projecto consiste em estar três meses deslocados em Angola, o que não seria um problema para mim porque há muito procuro uma oportunidade destas.
A partir daí começou um processo de ponderação, reflexão, reavaliação dos meus objectivos, muitas noites de sono perdidas, muitas dores de cabeça, muito choro… Porque no fundo eu sinto-me bem na empresa onde estou, estou numa situação contratual estável, perto de casa, vou almoçar a casa, sem horários, sem grandes stresses, com enorme flexibilidade mas ao mesmo tempo, com muito pouco trabalho o que me assusta bastante. Eu sou nova e não me posso dar ao luxo de não evoluir, não crescer profissionalmente mas eu não estou encostada, sei quais são os passos que tenho de seguir para evoluir… Apostar em formação teórica e adquirir o máximo que conseguir de conhecimento prático.
A sexta-feira passada (dia 17) estive reunida com a empresa que me quer contratar para acertar os últimos pormenores. No que toca a datas está tudo muito apertado. Querem que comece na segunda semana de Novembro e viaje para Angola na última semana do mesmo mês.
Ontem (dia 20) fui falar com o dono da minha empresa para me demitir e tal como aconteceu quando falei com o meu tutor… O senhor de quem tanto gosto e admiro… Também ele me elogiou como se não houvesse amanhã (não chorou com o meu tutor que foi uma hora de lágrimas, eu com pena de sair e ele com pena que eu saia) e pediu para ficar mas a minha resposta está quase definida… Vou abraçar esta nova proposta sem olhar para o que fica para trás.
Hoje (dia 21) tive uma reunião de equipa para se analisar as tarefas que temos pendentes e quais os recursos necessários para os resolver e no fim, o meu tutor (e chefe de equipa) pediu para falar comigo à parte, juntamente com mais uma colega que também gostava que ficasse para tentar convencer-me a ficar. Uma conversa super informal mas sincera e esclarecedora.
A minha decisão está tomada e sem forma de voltar atrás...
…Vou explorar ao máximo todas as oportunidades que me vão surgir na minha empresa, apreender conhecimento e investir na minha auto formação. No fundo, seguir o plano que tinha definido para os próximos três/quatro anos e depois disso procurar novas oportunidades profissionais que acredito que não irão faltar.
Eu já trabalhei em tantos sítios e pela primeira vez, estou num sítio que gosto realmente, onde me sinto bem, com boas pessoas e numa função que eu gosto. Como poderia, pura e simplesmente abandonar tudo para algo que é incerto?
Sou nova e tenho de aproveitar todas as oportunidades mas tem de ser um risco calculado para não tomar decisões erradas que mais tarde me irei arrepender.

Acho que tomei a melhor opção… Foi sofrida e demasiado pensada mas acredito que foi a opção mais sensata e inteligente.

20 de outubro de 2014

Em breve, novidades...

Tenho andado ausente porque a minha vida está a dar uma volta de 180º. Vá, se calhar não é uma volta tão grande mas tem mexido muito comigo e não tenho conseguido descansar a minha cabeça. Quando tiver as minhas ideias mais claras e quando tomar finalmente todas as decisões que tenho de tomar conto-vos tudo mas uma coisa é certa... Vai haver mudanças na minha vida.


9 de outubro de 2014

A repousar

Hoje precisei ficar em casa repousar a perna. Estou a trabalhar mas ao mesmo tempo a pôr a Grey's Anatomy em dia...

8 de outubro de 2014

Só comigo...

Ontem fui ao hospital. Eu costumo fazer reacção alérgica às picadas de pulga. No domingo da semana passada apanhei uma que não teve qualquer piedade e comeu tudo o que podia. Estou com uma bolha gigante e nojenta no tornozelo que mete medo ao susto. Fui à farmácia mas não puderem fazer nada mas disseram para ir o quanto antes ao médico. À noite lá fui eu ao hospital e estou a tomar um antibiótico e mais uma catrefada de medicamentos. Pelos visto a infecção não está só concentrada naquela bolha. Está-se a alastrar para a perna, o que pode trazer problemas graves. Estou a tomar desde ontem e a bolha continua a inchar. Se não fosse tão nojento até mostrava uma foto mas é vergonhoso. Hoje mal consegui conduzir. Deixei o carro ir duas vezes a baixo porque não tenho força suficiente na perna para carregar no pedal da embraiagem. No trabalho disseram-me para ficar em casa mas como a situação está por aqui acho melhor não o fazer. Vou-me aguentar mas estou quase no limite. Não estou a suportar tanta dor...


4 de outubro de 2014

Casamento I

Fui a um casamento que foi tudo à grande.... Eram quatrocentos convidados, passámos o dia a comer, a banda e o dj eram muito bons e houve fogo de artificio que equivale a três passagens de ano. Juro que não estou a exagera. Gosto muito do noivo. Conhecemo-nos desde sempre e confesso que pela primeira vez, e provavelmente pela idade, senti um tiquinho de emoção na entrada da  noiva na igreja... Será um sinal?








3 de outubro de 2014

Uma porta aberta?

Entraram em contacto comigo através do LinkedIn. Não é a primeira vez que acontece mas ao contrário das anteriores vou aceitar uma entrevista. As coisas no trabalho não andam do melhor e não perco nada em saber que projecto é que têm para me apresentar. Na próxima sexta vou lá. Vamos ver como corre...


1 de outubro de 2014

Amanhã será um novo dia...

O que me apraz dizer neste momento!

29 de setembro de 2014

Estou preocupada

Na quinta feira passada o meu "tutor" sentiu-se mal e teve de ir para casa. No dia seguinte disse-me que estava com uma infecção urinária e eu sei tão bem o que isso é... Sexta não conseguiu vir ao escritório mas combinámos trabalhar à tarde através do skype. Passou a tarde e não obtive contacto. Achei estranho mas sabendo o que é um infecção urinária não quis incomodar. No sábado recebi um e-mail dele a dizer que as coisas se tinham complicado e que na segunda feira me ligava. Fiquei com o coração apertado. Não tenho dormido bem. Hoje, segunda, recebi a sua chama e eis que se confirma o que eu deduzi. Está com uma hipertrofia na próstata. Vai estar quinze dias (no mínimo) algaliado e a perspectiva de resolução é de operação. Gosto muito do senhor e estou muito preocupada. É daquelas pessoas que nos transmitem tanto conhecimento e experiência de vida que em poucos dias já nos sentimos super apegados. Na idade dele (62 anos) percebo que estas coisas são normais mas estou muito preocupada. Foi muito repentino e ainda estou muito dependente dele para fazer o meu trabalho. Já para não falar que ele é o único nesta empresa que acredita nas minhas capacidades e se esforça para me formar e ensinar-me sempre mais e mais. Sem ele "morro" nesta empresa. Sou completamente encostada à box e foi ele que me fez apaixonar por esta área, que me fez sentir gosto em vir trabalhar e me fez acreditar que sou capaz de alcançar todos os meus objectivos. Fez-me perceber o que eu realmente quero fazer da minha vida... Estou preoucpada mas vamos ver como as coisas vão correr daqui para a frente...

24 de setembro de 2014

Avó melhor amiga

A minha avó foi e alguém muito importante na minha vida. Foi com ela que passei grande parte da minha infancia e apesar de ter defeitos, como todos nós temos, sempre a considerei a minha melhor amiga. Falava de tudo... mesmo TUDO. Com a idade tem tido atitudes que antes não tinha e percebo que até possa ser normal mas custa! É difícil aceitar a velhice. Hoje a minha mãe foi de propósito (apesar de ser a mãe do meu pai) a Abrantes para falarem com calma e parece que entendeu tudo mas com 84 é suposto perceber? Eu gostava que sim... Veremos!


20 de setembro de 2014

17 de setembro de 2014

Dia positivo

Hoje o dia no trabalho correu muito bem. O meu mentor fartou-se de me elogiar a de dizer que vou chegar longe. Sabe sempre bem ouvir este tipo de coisas... Mesmo que eu tenha algumas dúvidas.


16 de setembro de 2014

Mulher despachada!

Nos primeiros dois fins de semana de Outubro tenho dois casamentos. Chegou o dia de hoje e ainda não tinha nada para levar vestido nem calçado e muito menos tinha ideia do que queria. Só sabia que não queria gastar muito dinheiro e queria que fossem coisas que dessem para usar também no dia a dia. Quando saí do trabalho fui ter com a minha irmã ao Dolce Vita Tejo e na primeira loja comprei o primeiro vestido que agarrei, os primeiros sapatos que vi, uma clutch e um género de uma combinação para usar por de baixo do vestido para assentar melhor e para aquecer também um pouco. A única coisa que ficou a faltar foi um casaquinho mas já não me apetecia andar mais às voltas e é daquelas coisas que também não são muito difíceis de arranjar.
Estou muito mais aliviada. Vim carregada para casa, com menos uns quantos euros na carteira mas finalmente estou despachada. Tinha decidido que não ia perder muito tempo a pensar no casamento e consegui!


15 de setembro de 2014

Tenho um gato tonto...

... Que consegue passar horas nestas figuras!




14 de setembro de 2014

Descanso

Este fim de semana foi muito bom! Na sexta jantamos os dois. Sábado de manhã acordámos cedinho e rumámos até Abrantes. Desta vez não fomos pela autoestrada e aproveitámos para respirar ar puro, almoçámos uma boa sopa da pedra em Santarém e ainda aproveitámos para revisitar o castelo de Almourol.